domingo, 18 de abril de 2010

DOMINGO NO PARQUE - Os Trapalhões

Todo domingo vamos botar aqui uma espécie de sessão nostalgia relembrando good times da TV e da infância:

OS eternos TRAPALHÕES!
por Renato Rodrigues


O primeiro a aparecer na telinha foi Renato Aragão. Foi na TV Ceará, com o programa Vídeo Alegre, tendo a participação de vários humoristas, logo depois foi para TV Tupi no Rio de Janeiro. Com Dedé participou de vários programas e filmes, mas foi só em meados dos anos 70 que Mussum e Zacarias entraram de vez (ainda na TV Tupi). Em 77 foram para a Globo onde estouraram! Até festinha de aniversário parava às 7 horas pra garotada assistir ao quarteto. E nos anos 80, o programa atingia mais de 60 pontos no ibope contra 12 do segundo colocado.

Em 1981 comemoraram 15 anos de existência, com um especial de oito horas, com a participação de quase todo o elenco da Globo. O especial também serviu para divulgar a campanha em favor dos portadores de deficiência visual, promovendo a doação de córneas e de bolsas de emprego em todo o país. Ahá, e eu tenho a moedinha comerativa dos 15 anos que veio de brinde no gibi!!! (Riririririri... risadinha do Zacarias pra você)


Em 1991, foram homenageados pela Escola de Samba carioca Unidos do Cabuçu, com o enredo O Mundo Mágico Dos Trapalhões e em 1997, entraram para o Guinness Book, o Livro dos Recordes como o programa humorístico brasileiro que permaneceu por mais tempo em exibição na televisão.



TRAPALHADAS NOS CINEMAS

No cinema eles fizeram mais de 40 filmes (23 com o quarteto) sempre lotando salas nas férias. Falem bem, falem mal, foi o maior fenômeno do cinema brasileiro. Mais de cento e vinte milhões de pessoas já assistiram a filmes d'Os Trapalhões, sendo que sete filmes estão na lista dos dez mais vistos na história do cinema nacional.
Aragão, em várias entrevistas, deixou claro que o Cinema é sua maior paixão. O nome "trapalhão" tornou-se tão famoso que acabou sendo usado, no Brasil, em títulos de vários filmes estrangeiros de comédia, na tentativa de atrair mais público. Isso ocorreu com alguns filmes de Jerry Lewis, Woody Allen e Peter Sellers.

TRAPALHADAS NAS BANCAS
EDITORA BLOCH - Essa versão era muito engraçada, principalmente pela falta do compromisso "politicamente correto" de hoje. Essa revista durou 11 anos (de 76 a 87). Apesar das boas vendas, Renato Aragão e sua trupe mudaram de casa e de equipe criativa. Especula-se que os humoristas tinham planos financeiramente mais rentáveis e, por essa razão, não renovaram o licenciamento com a Bloch. Assim, em 1988, Os Trapalhões chegam às bancas pela paulista Editora Abril em uma versão infantil. Em 1996, a Bloch (já mal das pernas) ensaiou a volta dos personagens em As Aventuras do Didi mas durou apenas 3 edições. A Editora Escala também fez algumas edições e passatempos com o Turma do Didizinho nesta década de 2000 e agora (2010) volta as bancas em versão Mangá. Boa sorte!

TRAPALHADAS NOS DVDs
Hoje podemos rever os filmes a preços super camaradas (15,00) nas coleções lançadas pela Europa Filmes. A Globo lançou também 3 discos com os melhores momentos dos programas de TV, mas foi infeliz ao escolhes os quadros. É tudo muito misturado, alguns quadros muito chatos ocupam espaço de outros memoráveis que ficaram de fora. Mesmo assim vale a pena rever com boa imagem a fase áurea do quarteto.

A TURMA DO DIDI
Pra quem viu os Trapalhões em ação, é dose ver os atuais coadjuvantes do Renato Aragão. Mas o Didi é um guerreiro e está aí na luta, e agora, com o Dedé de volta, eu até arrisquei ver um quadro... E sabe que eu até ri com a dupla? A cinergia dos dois é inegável, mesmo sem texto.

Hoje graças a esses DVDs e ao You Tube (claro) as novas gerações podem assistir com seus pais às trapalhadas de Didi, Dedé, Mussum, Zacarias, Sgto. Pincel, Tião Macalé, Catifunda, Ted Boy Marino, Lafond e muitos outros humoristas. E é isso aí, Psit!


Um comentário:

uzumaki xaruto disse...

muito bom gostei muito